Engenharia da Segurança [ES]

VERIFICAÇÃO DE MÁQUINAS

O trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho constitui uma das atividades que está na origem de inúmeros acidentes de trabalho.

O Decreto-Lei nº 50/2005 de 25 de Fevereiro transpõe para a ordem jurídica interna a Diretiva n.º 2001/45/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Junho, relativa às prescrições mínimas de segurança e de saúde para a utilização pelos trabalhadores de equipamentos de trabalho.


Obrigações da entidade empregadora:

  • Assegurar que os equipamentos de trabalho são adequados ou convenientemente adaptados ao trabalho a efetuar e garantem a segurança e a saúde dos trabalhadores durante a sua utilização;
  • Ter em consideração as condições e características específicas do trabalho na escolha dos equipamentos de trabalho, bem como os riscos resultantes da sua utilização e os princípios ergonómicos;
  • Tomar as medidas adequadas para minimizar os riscos existentes de modo a assegurar eficazmente a segurança ou a saúde dos trabalhadores na utilização dos equipamentos de trabalho;
  • Prestar a informação adequada sobre os equipamentos de trabalho utilizados aos trabalhadores e seus representantes para a segurança, higiene e saúde no trabalho;
  • Realizar verificações obrigatórias dos equipamentos: no inicio da sua utilização , em intervalos regulares e quando ocorrem factos excecionais suscetíveis de alterar a sua segurança.

 

METODOLOGIA DA INTERVENÇÃO DA XZ CONSULTORES:

De modo a responder em conformidade com verificação de máquinas de acordo com o Decreto-Lei 50/2005 foi desenvolvido um conjunto de ações de modo a proporcionar a segurança de máquinas:

Fase 1:

  • Conhecer o grau de cumprimento legal dos equipamentos de trabalho em matéria de segurança no trabalho;
  • Avaliar as condições de segurança e de conservação de todas as máquinas;
  • Identificar os riscos de falhas provocadas por deficiências de conceção, instalação e / ou utilizando, antecipando os acidentes de trabalho;
  • Reportar as deficiências detetadas por equipamento;
  • Propor ações corretivas e sua programação para as deficiências detetadas;
  • Elaborar relatório por equipamento/ máquina.

 

Fase 2:

  • Verificar o cumprimento das ações corretivas;
  • Avaliar as condições de segurança;
  • Elaborar Relatório de Bom Funcionamento.

A nossa experiência é uma mais valia para si. Queremos ser o seu parceiro!

Solicite-nos informação/proposta